Espiritualidade em Movimento (SOR): Carnaval 2018

Antônio Chaves de Santana

Como uma expressão muito bonita do Brasil, o carnaval ocupa um lugar relevante no calendário festivo de nosso povo. É o símbolo da manifestação popular, um bom exemplo de comemorações milenares de grande importância social que ocorrem em vários países do mundo, capazes de mobilizar um grande fluxo de pessoas.

O carnaval, principalmente no Brasil é, dentre as manifestações populares, a que mais claramente transborda os efeitos dos processos cíclicos na cultura. Embora não seja um festejo originário brasileiro, foi adaptado de tal forma, que é considerado como um elemento identificador nosso no imaginário mundial, inclusive para os próprios brasileiros.

A cultura humana, pelo festejar e confraternizar, não é apenas fundamental, mas necessária. Fugir da rotina e dureza do dia a dia é atitude percebida em vários momentos históricos do calendário anual, dadas as datas festivas e comemorativas que ressoam fortemente e dão um caráter lúdico ao nosso povo.

O carnaval, embora interpretado conforme a influência da época na qual ocorre, geralmente, em função dos anseios humanos pela descontração e liberdade de expressão, evidencia em seus participantes a inversão de valores pré-determinados que, de forma espontânea e irreverente, utilizam-se desse evento para satirizar os problemas e conflitos da vida social.

Como manifestação popular, o festejo carnavalesco tem sido um produto cultural de grande destaque por décadas, representando o diferencial de um povo que se permite ser ouvido, preservado e interpretado, ficando guardado na memória coletiva.

Porém, como comemorar o carnaval em tempos de crise, em momentos cruciais da história da sociedade brasileira, em meio a tamanhas turbulências sócio-econômicas e político-culturais, que aniquilam o pobre e empobrecem a classe média? Creio que, em tempo de crise, é mais do que necessário festejar para clarear a mente e repensar os passos.

O carnaval tornou-se um elemento forte e essencial na vida do povo brasileiro, bem como um diferencial cultural. É uma festa da alegria.

Dom Hélder Câmara, durante sua crônica radiofônica chamada “um olhar sobre a cidade”, na Rádio Olinda AM, fazia uma célebre orientação para que o povo brasileiro brincasse o carnaval, dizendo: “O carnaval é alegria popular, uma das raras alegrias que ainda sobram para o povo”, e lembrando que o carnaval seja um momento para difundir a alegria, e não deve permitir que se torne um tempo de morte, de violência e de opressão.

Feliz Carnaval 2018!

 

Referência bibliográficas:

Família Cristã. Edições Paulina

Revista Diálogo Cultura Brasileira

Leandro Karnal. O Carnaval como expressão bonita do povo brasileiro

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *